terça-feira, 4 de outubro de 2016

O acervo indica:

Olá, leitores!
Quando eu adquiro um novo livro, penso nos outros que estão na minha estante e que já foram lidos (ou não). Penso neles como pessoas que conhecemos e que gostamos muito, mas que nem sempre conseguimos dar a devida atenção por inúmeras razões que prefiro não pontuar aqui, para não deixar ninguém triste pensando nisso.
Esse pensamento acabou ficando mais forte quando, junto com outras duas mediadoras, assumi a atividade de cuidar do acervo do Livros Abertos. Com aproximadamente mil livros, percebi que alguns se tornavam mais ‘populares’ entre os mediadores e outros eram deixados quietinhos, impossibilitados de realizar a sua grande missão na vida: conhecer novas pessoas. Como o grupo sempre tem novos mediadores, dependendo do período podemos perder os grandes momentos de determinados livros.
Foi pensando nisso que nós do acervo criamos um novo tópico no blog, onde indicaremos livros que não estão recebendo o devido prestígio, sendo mantidos cativos em nossa estante, longe das mãos e dos olhos das crianças e dos mediadores.
Vocês podem dar sugestões de tema, de quais informações seriam interessantes de serem apresentadas e coisas legais que poderiam ser abordadas.


Nesta primeira vez, como apresentação, escolhemos quatro livros:


Pê de Pai - Isabel Minhós Martins e Bernardo Carvalho.

http://3.bp.blogspot.com/-vAUcm2pTMT4/U-JYg1qDN-I/AAAAAAAAF7Y/H5XGWverT7I/s1600/P%25C3%25AA+de+pai.png


“Para agradar o filho, o pai assume as mais diferentes formas. O pai avião levanta o seu filho nas nuvens. O pai motor dá aquele empurrãozinho quando bate a preguiça…”


Pê de Pai traz as possibilidades que um pai pode assumir para ajudar, agradar ou acarinhar seu filho. Usando rimas e ilustrações simples, o pai pode assumir o papel de ambulância, de cavalinho ou de colchão, dependendo da necessidade de seu filho. O livro permite trabalhar a visão da criança sobre seu pai, suas experiências especiais e de cumplicidade entre eles, além de perceber que nem todo pai é parecido e que algumas crianças podem ter dois ou nenhum pai, tocando na perspectiva de família.


Ficha:
Pê de Pai
Autor: Isabel Minhós Martins
Ilustração: Bernardo Carvalho
Editora: Cosac Naify


A cama da mamãe - Joi Carlin e Morella Fuenmayor, com tradução de Ana Maria Machado

http://3.bp.blogspot.com/-LccU82VogM0/T4Xl3VKIsMI/AAAAAAAABA0/gGM3GAzplU8/s320/21312545_4.jpg

Seguindo a temática familiar, A cama da mamãe fala do lugar mais gostoso do mundo: a cama da nossa mãe. Quem nunca foi para o quarto dela depois de um pesadelo, dor ou tristeza para se sentir seguro e acolhido? Na história, os personagens mostram as mil e uma utilidades deste lugar e possibilitam trabalhar a dinâmica familiar. Assim como no livro “Pê de Pai”, a relação entre a criança e sua mãe e a configuração familiar podem ser trabalhadas durante a contação, além de explorar as ilustrações riquíssimas que são apresentadas.


Quem quiser dicas de mediação dessa obra, pode acessar a nossa revista digital aqui.


Ficha:
A Cama da Mamãe
Autor: Joi Carlin
Ilustrador: Morella Fuenmayor
Editora: Salamandra



Eduardo e os elefantes - Celso Sisto e Aline Abreu

http://editoramelhoramentos.com.br/v2/wp-content/uploads/2013/01/Eduardo-e-os-Elefantes.png

“Se uma história tem duas versões, qual é a que vale?”


A primeira coisa que chama atenção neste livro são as ilustrações coloridas e aparentemente soltas, mas que logo tomam formas de elefantes. Mas o que são os elefantes e porque eles incomodam tanto o pequeno Eduardo? Ou será que é Eduardo que incomoda os elefantes? A história fala dos sentimentos e das atitudes nem sempre "bem vindas" da criança que anda emburrada e brava pelos cantos. Permite mostrar para a criança que alguns atitudes e pensamentos podem ser trabalhados se você estiver disposto a se cuidar e pedir ajuda. A tentativa é tornar a criança um grande domador dos elefantes que são nossos sentimentos mais intenso.


Ficha:
Eduardo e os elefantes
Autor: Celso Sisto
Ilustradora: Aline Abreu
Editora: Melhoramentos


Um menino chamado Negrinho - Hellenice Ferreira e Luís Silva.

http://payload.cargocollective.com/1/5/170421/2311828/05%20CENA%20NEGRINHO%20NOITE%2072%20rgb%20blogue.jpg

Com uma das mais belas ilustrações que eu já tive a possibilidade de ver até hoje, Um menino chamado Negrinho conta a lendária (e triste) história do Negrinho do Pastoreio. Quando peguei este livro para indicação pensei no resgate da história que é bastante conhecida, mas que com o passar do tempo foi perdendo seu espaço nos livros e histórias atuais. Os temas que podem ser trabalhados vão desde a racismo, escravidão dos negros no Brasil, religiosidade e até a morte são riquissimamente abordados não apenas no texto, como nas imagens que buscam ser leves e gentis aos olhos das crianças.


Ficha:
Um menino chamado Negrinho
Autora: Hellenice Ferreira
Ilustrador: Luís Silva
Editora: Escrita Fina


Essas são nossas  indicações por hoje!  


E você tem bons livros que estão meio esquecidos? Que por um tempo foram sua indicação para todos os amigos e agora você só lembra deles quando mexe na estante? Conta pra gente!


Abraços mediadores,
Nagy.

Nenhum comentário: