quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Diário do Contador por Natália de Oliveira



Hoje li um livro que a maioria das crianças escolheu na semana passada, quando usamos os fantoches para contarmos uma história em que cada um era um personagem (tentativa que não deu muito certo e ainda estou pensando em como melhorar pra tentar mais uma vez e escrever aqui a comparação das duas experiências). Elas elegeram outra história de ovelha na onda da Maria-vai-com-as-outras, “A Ovelha Negra”, escrito por Bernardo Aibê, pseudônimo de Odair Barnabé, e ilustrado por Mariana Massarani. O livro conta a história da ovelha Tita, a única negra do rebanho, que aprende a gostar dela mesma com a ajuda de sua amiga, a dona Dalva e de todas as outras ovelhas brancas.
Logo na primeira página, um dos meninos mais observadores apontou pra figura da dona Dalva e disse:
 - Olha, no meio de todas as ovelhas tem uma que é professora! (menino)
- Por que você acha que ela é professora? (eu)
- Porque ela tá de óculos, ué!
- Todo mundo que usa óculos é professora? (eu perguntando pra todos)
- Não.  Ela também pode ser velha. Gente velha também usa óculos. (menina)
Bingo! A dona Dalva realmente era mais velha, informação revelada só duas páginas depois. Isso me deu a impressão que as crianças já perceberam que não precisam falar só quando eu faço as aberturas programadas. E que isso é bem diferente de me interromper, ou algo parecido. Algumas se sentem livres para fazer observações sobre as ilustrações e sobre a leitura em voz alta independente da demanda direta. Lembrando que esse é um dos princípios da leitura dialógica: seguir o interesse das próprias crianças, sempre ampliando a idéia e explorando o vocabulário. Essas pausas não-programadas são, normalmente, mais frutíferas em participação do que por meio das minhas perguntas. Isso provavelmente acontece porque ao se colocar no lugar de algum personagem, a criança leva consigo toda sua experiência e seus colegas compartilham-na e se identificam com ela. Semana que vem, chega de história de ovelhas.


4 comentários:

A Verdade disse...

Chegou o livro mais polêmico e revelador dos últimos tempos!
= O POMO DE OURO =

Sinopse: Henrique foi instruído nos mistérios da Maçonaria desde criança e tornou-se um bom Mestre Maçom. Entretanto, por ocasião dos atentados ao World Trade Center, no dia 11 de setembro de 2001, Henrique descobriu coisas tão perturbadoras que fizeram ele se afastar da Maçonaria e isolar-se do mundo, até que sua amiga Eva Cristina foi procurá-lo para ajudá-la a decifrar um código que o pai dela havia deixado numa carta antes de falecer em suas explorações arqueológicas. A partir daí, Henrique se vê obrigado a usar de seus conhecimentos secretos da Maçonaria para ajudar Eva a encontrar e devolver a quem de direito um objeto do qual depende o futuro da humanidade: o pomo de ouro.

Com uma narrativa dinâmica e envolvente para uma trama repleta de mistério, aventura e reviravoltas, o leitor é apresentado a uma série de contradições envolvendo os atentados de 11 de setembro, se torna conhecedor das mentiras da Igreja Católica e dos mais finos mistérios da Maçonaria, além da interpretação contundente de um conjunto de profecias que parece estar se concretizando a todo o momento em nosso tempo.

Realidade? Ficção? O Pomo de Ouro é a leitura mais intrigante, misteriosa e polêmica dos últimos tempos. Um livro único e imperdível!

LEIA 07 CAPÍTULOS DO LIVRO GRATUITAMENTE NO SITE CLUBE DE AUTORES:
http://www.clubedeautores.com.br/book/115624--O_Pomo_de_Ouro

Mariana disse...

Gente, fiquei com vontade de ler essa história! Mas ainda tenho medo de coordenar os fantoches,hehe !

Laís Pires disse...

Nossa!! Esse foi o primeiro livro que eu li pra minha turma. Muito fofo, né?!

Adriana Dias disse...

PARABÉNS pelo trabalho!